terça-feira, 30 de abril de 2013

Fez pipi no vaso

Toda vez que falo de desfralde me lembro da inesquecível cena do filme Três solteirões e uma pequena dama em que eles saem cantando FEZ PIPI NO VASO, FEZ PIPI NO VASO.


Eis que hoje recebi a imagem do primeiro xixi do Arthur no penico. Mãe que trabalha tem disso, nem sempre acompanha a evolução da criança, mas hoje graças a tecnologia posso acompanhar mais de perto tudo que acontece. Felizmente o primeiro xixi no penico aconteceu na casa da vovó onde além da vovó, tias, tio, tios-avôs e bisavô mimam nosso pequeno e único filho/neto/sobrinho/bisneto. Ou seja, eles não perdem uma oportunidade de registrar TUDO (ou seria qualquer coisa?). Meu menino nasceu em um big brother - tanto que antes mesmo de eu decidir se queria ou não expô-lo na rede social as irmãs já bombavam o Facebook com as fotos dele. Não tive escolha, aceito e hoje já convivo bem com tudo isso - e, claro, até tiro proveito afinal se não fosse isso não teria registrado momentos como o de hoje!

Eu já tinha falado do impulso dele de avisar xixis e cocôs e pedir para sentar no vaso. Tanto que nas minhas férias comprei um penico para ele e algumas cuecas, mas honestamente sequer tentei alguma coisa. Ele ainda nem tinha feito 2 anos e eu tenho uma preguiça danada desta história de desfralde por causa do trabalho (e sujeira) que faz. Então tenho renegado essa árdua tarefa mesmo porque ela tem que ser feito em conjunto com a vó, com a escola, com o pai. Enfim...

Mas diante do fato que se apresenta eu acho que estou tomando coragem. Como o penico que comprei ficou na casa da avó estou achando que vou comprar mais um e começar uma tentativa nas manhãs em casa. Quem sabe? Vou escrever um bilhete para escola e ver qual vai ser a orientação, afinal de contas eles tem mais experiência com criança do que eu. Depois conto como está a evolução por aqui. Afinal, olha que coisa mais linda o xixi aí no penico!

quinta-feira, 25 de abril de 2013

[Dica] Livro

Sabe todas aquelas interatividades que um jogo eletrônico tem? Mudança de cor, forma, luz, etc e tal? Então... encontrei em um livro! E ele é um livro comum, somente com páginas, duvida?

Fica estabelecido assim: se você acha que só um jogo eletrônico pode ser divertido OU se você ADORA interatividade, eu aconselho comprar.

Se você gosta de criatividade e do lúdico e acha essas as melhores características que uma criança pode ter, eu aconselho comprar.

Se seu filho não tem parada como o meu e você queria ler para ele e entretê-lo com algo diferente e delicioso como um livro, eu aconselho comprar.

Se você adora livros, crianças, lúdico, interatividade e imaginação, eu aconselho comprar.

Eu simplesmente me apaixonei pelo livro. Loucamente. O livro é inteligente e perspicaz, sendo capaz de seduzir em uma tacada só mãe e filho. Primeiro porque a fórmula é a mais simples que existe - e aquela velha fórmula do que é mais simples é melhor sempre vale, né? -; segundo porque usa de uma linguagem que nós, adultos, já dominamos (o internetês) e já foi incorporada pela sociedade e, desde cedo, é compreendida pelas crianças; terceiro porque na idade do Arthur exige participação ativa da criança e de alguém que o acompanhe na leitura (quer melhor?); quarto porque fica parecendo uma brincadeira. Acho que eu podia elencar mais mil motivos. Mas deixo vocês aí com esta dica e essa foto que resume que não foi só a mamãe aqui que gostou do livro.

Livro: Aperte aqui, Herve Tullet - Editora Ática. Custa em torno de R$ 30.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Do prêmio do sorteio

Eu já jurei aqui (e via Facebook) que o sorteio não foi marmelada, mas quem ganhou foi minha irmã. Na verdade, isso foi até uma sorte porque como ando cheio de coisas no trabalho acabei demorando para entregar o prêmio.

Ah, o prêmio para quem não lembra era um kit personalizado com 2 tags de mala, 10 etiquetas de caderno e 10 etiquetas para presente. E acabei terminando ele no final de semana e, o melhor, entregando pessoalmente.

Ficou fofo, apesar da minha demora. Mas valeu a pena.

Quem gostou também pode encomendar. Personalizo tudo e mando via correio. Basta me escrever aqui ou por email dialves @ gmail.com. Negocio a preços módicos. E foi assim, tudo embaladinho em um saquinho. Diz se não é lindo?

Juro que se não fosse assim, tudo personalizado, tinha ficado para mim.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Antes tarde...

... do que mais tarde?

Esta frase serve bem pro meu filho. Quer ver?

Pegou chupeta a poucos dias de fazer um ano!

Passou a pedir 'tetê' de madrugada aos 20 meses!

Se apegou ao 'naná' aos 22 meses!

Posso com isso? Agora, o menino com 2 anos vive de chupeta, pede 'tetê' várias noites por semana (mas nem todas as noites, ainda bem) e vive por aí no melhor estilo Linus - arrastando manta por aí. Quando entra no carro, então, nem se fala. Tem que ter 'naná' e 'tutu' (chupeta) de qualquer jeito ou então é escândalo na certa.

Com o 'tutu' é complicado. Eu nunca gostei de chupeta. E quando era criança tinha ânsia de vômito por causa do cheiro da borracha. Graças a Deus, hoje em dia, as chupetas são de silicone e não tem mais aquele cheiro nojento de borracha, mas ainda assim não gosto. Relevo. Encaro. Respeito. Mas não me venha enfiar a chupeta na minha boca que eu tenho siricotico. Não vejo a hora de tirar e sei que vai ser uma boa luta. A partir do ano que vem vou adotar a postura de amarrar na cama e permitir só para dormir para reduzir, mas por enquanto tenho que aceitar. Fazer o quê? Ah, e não fui eu quem ofereceu para ele pegar não. Foi a minha mãe, ou seja, a vó dele que adora o apetrecho.

O 'tetê' da madrugada é tipo a pegadinha do malandro para mamãe aqui. Só pode. A mãe aqui que sempre se vangloriou que o menino dorme a noite toda desde os 2 meses. A mãe que amamentou até os 9 meses, mas que o menino nunca pediu peito de madrugada, exceto naqueles momentos de transição que só duraram 15 dias em cada caso. Eu não sei como proceder (e estou no aguardo da próxima consulta com o pediatra para decidir). Eu já tentei não dar - dar suco ou água, mas não adianta. Tem aquela história do ir diluindo para ele desacostumar, mas eu não tenho coragem. Como ele tem dado uns estirões de crescimento, acabo achando que é por isso e acabo oferecendo a mamadeira quando ele pede. Então, veremos em maio com o pediatra e depois decido.

Já o naná, eu levo numa boa. Não tenho nada contra e nem a favor. Ele fica lá com o naná, na ponta da manta só por causa da textura. Parece o Linus do Snoopy, mas tudo bem. Enfrento os percalços de carregar manta toda hora e de ficar pedindo para ele não arrastar a manta no chão sujo. Tenho que lavar as tais escondida, mas não me importo com essa mania. Ele pega o naná e fica lá, numa boa. Às vezes joga a tal no chão da cozinha e deita em cima, só para ficar do meu lado. Diz se não é fofo? Eu não gosto e fico pedindo para ele ir para o sofá e tal, mas como não me obedece mesmo e fica deitado na manta, eu acabo achando uma fofura.

Agora, me diz, ele não poderia ter todas estas manhas desde bebê e deixar a mãe sem esses traumas, né?


sexta-feira, 12 de abril de 2013

As dores e as delícias dos 2

Como pode existir assim tanta dicotomia? Parece uma criança bipolar.

Fala gracinhas, ri, abraça e beija. Dois minutos depois ou um não sequer é o suficiente para o vulcão entrar em erupção com direito a birra, manha. choro, lágrimas, pontapés e tapas. E assim vamos convivendo com este menino de dois anos.

Ele tem feito coisas deliciosas de ver e ouvir. Imita a gente cheio de graça (seria um sarrista nato? Vocês precisam ver ele imitando a fazer suco espremendo laranja: é um verdadeiro sarro), faz estripulias, fala tudo errado e faz todo mundo se apaixonar.

Mas é um tal de "não qué" para todo lado. Não qué trocar de roupa, não qué trocar a fralda, não qué tomar banho (oi? ele sempre AMOU banho), não qué ir para cama, não qué pôr o pijama e depois não qué tirar o pijama, não qué entrar no carro, não qué sair do carro. Não qué, não qué, não qué.

Pega seus brinquedos e começa a contar: um, ois, quato, seis. Fica cantarolando pela casa. Vê ou ouve um cachorro e começa a latir. Mia que é uma delícia. Abraça e beija no meio da noite quando dorme comigo. Sai correndo e volta só para dar um abração. E abraça, muito, o tempo todo.

Só anda de carro se tiver com o naná. Quando contrariado joga a chupeta longe, se joga no chão e tira os sapatos. Bate, briga. Depois que joga a chupeta chora copiosamente porque jogou a chupeta. Não obedece. Sobe em cima das coisas, bate portas, abre portas, liga torneira e ensopa o banheiro, não veste casaco nem sob decreto, tira o cinto da cadeirinha do carro.

E assim com dores e delícias vamos convivendo. Confesso que depois das férias merecidas e aproveitadas férias ando muito zen. Então, ando com toda paciência do mundo. Deixo fazer escândalo e, depois, com toda calma do mundo me aproximo para acalmar a fera. Tenho, aos poucos, aprendido o timing de fazer isso. Na maioria das vezes acerto e consigo amansar a fera. Claro que às vezes ainda me sobram tapas e pontapés, mas vamos convivendo com muita calma nessa hora e muita conversa nas horas ruins. Nas horas boas, ah, é muito fácil. E uma delícia!


sexta-feira, 5 de abril de 2013

#Sorteio

Juro que não foi marmelada.

Listei todos os numeros (que apesar de dar 105 curtir na página, ao todo incluindo as páginas e não só os perfis deu um total de 78 participantes - isso deve ter acontecido porque o Face conta o geral curtido, mesmo que já não esteja curtindo mais) e fui no Random.

Ei que a sorteada foi: tchanan.



Minha irmã! Luciana, se você não quiser o prêmio, me avise para que eu faça outro sorteio.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

#Sorteio

Eu prometi um sorteio quando alcançasse 100 seguidores no Face. Aconteceu agora, que estou em férias, então estou dando uma postergada (porque internet e blogagem funcionam melhor quando estou menos com o filho), mas estou prometendo para até o final da semana.

Ah, você é novo por aqui e não sabe de nada. Então é assim: adoro fazer lembrancinhas úteis. Para o aniversário do Arthur fiz um kit que ficou super fofo: identificador de mochila/bagagem; etiqueta de material escolar e etiqueta de presente de/para e, então, resolvi presentear os seguidores do blog no Face fazendo um sorteio de um kit personalizado com 2 identificadores de mochilas, 10 etiquetas de materiais escolares e 10 etiquetas de presente de/para.

Para participar é fácil, basta curtir nossa página no Face (aqui). Quem já curtiu (e continua curtindo) já está concorrendo. Quem quiser participar ainda dá tempo. Sexta-feira, mando ver no sorteio e divulgo o resultado assim que possível (no máximo segunda, ok?).

Quem quiser participar, curte lá até sexta.

Até mais!